Posts com Tag ‘cultura’

— Publicado em: 03/12/2010 17:06

da Redação*

Moradores do Alvarenga podem se inscrever até o dia 30 de dezembro para o edital “Microprojetos Mais Cultura” para o projeto Territórios da Paz, do Governo Federal. São Bernardo é o único município do Estado de São Paulo participante do projeto, que contempla iniciativas de 44 regiões do País atendidas pelo Pronasci (Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania). O objetivo da iniciativa, desenvolvida pelos ministérios da Cultura e Justiça, é viabilizar ações que promovam a inclusão social e contribuam para a diminuição da violência e da criminalidade.

A Divisão de Difusão e Fomento da Secretaria de Cultura estima que sejam beneficiados cerca de 20 projetos da região doAlvarenga e a previsão é que os projetos comecem a ser desenvolvidos em fevereiro, com duração de seis meses.Ao todo, serão contempladas 12 áreas: artesanato, artes cênicas e visuais, audiovisual, culturas afro-brasileiras, indígenas e populares, design, literatura, moda, música, além de artes integradas. O valor destinado a cada projeto poderá variar entre um a trinta salários mínimos.

Os interessados em participar do edital devem ser pessoa física com mais de 18 anos ou jurídica sem fins lucrativos, que desenvolvam projetos socioculturais. Não é permitido ter vínculo com a administração pública federal, estadual ou municipal.

As inscrições podem ser realizadas pela internet, cadastrando a proposta nos seguintes sites: http://www.cultura.gov.br ,http://mais.cultura.gov.br www.mj.gov.br/pronasci.(CATHARINA GUADALUPE)

*Esta reportagem foi produzida por alunos do curso de Jornalismo da Universidade Metodista de São Paulo

Anúncios
Alvarenga é contemplado pelo edital Microprojetos Mais Cultura Imprimir E-mail
Sex, 03 de Dezembro de 2010 00:27 – Cliqueabc
Da RedaçãoMoradores da região do Alvarenga poderão se inscrever até o próximo dia 30 de dezembro para participar do edital Microprojetos Mais Cultura para os Territórios da Paz, do Governo Federal. São Bernardo foi o único município escolhido para o projeto, que contempla iniciativas de 44 regiões do País atendidas pelo Pronasci. 

O objetivo da atividade, desenvolvida pelos ministérios da Cultura e Justiça, é viabilizar ações que promovam a inclusão social e contribuam para a diminuição da violência e da criminalidade. O chefe da Divisão de Difusão e Fomento da Secretaria de Cultura, João Pires, estima que sejam beneficiados cerca de 20 projetos da região do Alvarenga. “O desenvolvimento cultural que esta população vai receber será muito grande. Personagens, atores e produtores que até então estavam um pouco escondidos, virão à tona”, disse. A previsão é que os projetos comecem a ser desenvolvidos em fevereiro, com seis meses de duração.

Ao todo, serão contempladas 12 áreas: artesanato, artes cênicas e visuais, audiovisual, culturas afro-brasileiras, indígenas e populares, design, literatura, moda, música, além de artes integradas. O valor destinado a cada projeto poderá variar de 1 a 30 salários mínimos nacionais.

Os critérios para o julgamento serão o desenvolvimento de práticas e ações artístico-culturais voltadas para jovens de 15 a 29 anos; valorização das experiências culturais locais e da expressividade artística; residência do candidato no Território Alvarenga; e desenvolvimento de práticas e ações artístico-culturais voltadas à prevenção da violência e à promoção da cultura de paz.
Os interessados em participar do edital podem ser pessoas físicas com mais de 18 anos e jurídicas, sem fins lucrativos, que desenvolvam projetos socioculturais. Não será permitido ter vínculo com a administração pública federal, estadual ou municipal.

As inscrições podem ser realizadas pela internet, cadastrando a proposta nos seguintes sites: http://www.cultura.gov.br; http://mais.cultura.gov.br e http://www.mj.gov.br/pronasci.

Projetos – No início de 2010, a Prefeitura de São Bernardo iniciou, na região do Alvarenga, um conjunto de políticas públicas de segurança e ações sociais preventivas do programa Cidade de Paz, realizadas em parceria com o Governo Federal por meio do Pronasci. O investimento é da ordem de R$ 5 milhões.

Entre as ações está o Protejo – Jovens de Fibra, onde são acompanhadas e realizadas formações socioeducativas para 150 jovens e adolescentes, entre 15 e 24 anos. Há ainda o projeto Mulheres da Paz, que capacita  mulheres para atuarem na comunidade como multiplicadoras da cultura da paz. Outras iniciativas do Cidade de Paz – Território Alvarenga são: Reviver, Esporte e Lazer da Cidade, além de projetos relacionados à educação, esporte, cultura e a melhoria do espaço urbano.

sábado, 13 de novembro de 2010 – 17h07
Repórter: Jean Oliveira | E-mail: jean.oliveira@folhadaregiao.com.br

 

Paulo Gonçalves/Folha da Região – 08/11/2010
Aldo Valentim explica que o intuito das oficinas é formar público

Mostrar ao povo que não existe mistério para consumir e produzir cultura. Este é o projeto pessoal de Aldo Valentim, um ex-menino da periferia paulistana que ganhou o mundo por meio das artes. Hoje, no cargo de coordenador administrativo do projeto Oficinas Culturais do governo do Estado, ele tem passado por várias cidades pregando que é preciso perder o medo da cultura para que as artes se tornem, definitivamente, um produto a ser apreciado e realizado por todas as pessoas, de todas as classes sociais e idades. 

Em visita a Araçatuba, na segunda-feira, Valentim concedeu entrevista exclusiva à Folha da Região. Ele passou pela cidade para acompanhar os trabalhos da Oficina Cultural Sílvio Russo, que somente neste semestre realizou, na região, 45 eventos de educação para a cultura, com acesso gratuito.

“Nossa missão é financiar os artistas para que eles possam ir às pessoas que querem aprender algo. Formamos público e novos artistas por meio deste trabalho”, explica.

Valentim é enfático ao dizer que muitas pessoas hoje não frequentam um teatro ou uma exposição de quadros por acreditar que é preciso um conhecimento prévio para poder entender o que está acontecendo. “Defendo que o público vá a estes locais para curtir, para ver, conhecer. Para ver uma novela, não é preciso saber como ela é feita. Com as demais manifestações, é igual”, comenta.

Para ele, depois do primeiro contato das pessoas com alguma arte, elas invariavelmente se sentem motivadas a pesquisar sobre o assunto e conhecer outras produções. Algumas até descobrem seus talentos. “Nossa luta é quebrar esta primeira barreira”, afirma.

Fonte: Folha da Região

Por Rosemar Prota

“O sertanejo é, antes de tudo, um forte”

Euclides da Cunha, 1902.

“O homem é um ser naturalmente livre e procura cultivar essa liberdade.”

Rousseau , 1755

Uma das complexidades do Brasil é a existência de grande poder econômico convivendo lado a lado com grande carência econômica. Quem são estas pessoas que vivem nestes dois mundos de certo modo opostos dentro de um mesmo país? Existe relação entre elas?

Quando se tem pouco e o pouco que se tem é para a subsistência, a base da vida passa a ser cada dia de vida, passa a ser a sobrevivência. Se este é o raciocínio, nada mais lógico do que ter-se uma cultura gregária, na qual uns ajudam aos outros, numa solidariedade coletiva onde o espírito é de irmandade. Pela sobreviência.

Por outro lado, agregue-se um grande número de pessoas convivendo em um espaço precário e reduzido e tem-se a receita para uma cultura onde o mais forte talvez emita comportamentos de dominação e arbitrariedade.

Pois bem, então, em uma cidade complexa e desenvolvida como um todo, tem-se profissionais da saúde trabalhando para o Sistema Único de Saúde, com seus preceitos de equanimidade, integralidade, universalidade. Estes profissionais da saúde, eles próprios possuem uma base cultural, uma história de vida que lhes propiciou a formação de seus valores éticos e morais. É aí então que estes profissionais se deparam com o diferente, ou não, em seus atendimentos no território ou no consultório do posto de saúde. Como lidar com estas diferenças ou semelhanças culturais na relação e no processo de “fazer saúde”?

Respeito à alteridade é o primeiro passo para se fazer um atendimento na área da saúde visando um projeto terapêutico singular. A negociação entre o que diz o conhecimento do profissional da saúde e o que diz a cultura local das pessoas que vivem no território atendido é o ponto de partida para a construção de saúde.

Este respeito à alteridade está relacionado com autonomia, autonomia esta que permite às pessoas a quebra de barreiras, quer sejam culturais ou constructos apreendidos em livros acadêmicos.

Respeito à alteridade e à autonomia são os pilares edificantes da prática de saúde em seu sentido mais amplo. Para esta prática, o profissional precisa desenvolver sua capacidade de escuta, desenvolver a capacidade acurada de possibilitar o acesso ao usuário àquilo que ele busca, capacidade de acolher o outro em sua demanda, mesmo que este outro lhe pareça em um primeiro instante apenas alguém desprovido de conhecimento científico, pois o respeito ao conhecimento cultural pode levar o usuário a validar em sua prática diária o conhecimento científico. Do contrário corre-se o risco de verem-se sabotadas no dia-a-dia as recomendações clínicas.

O conceito ampliado de saúde envolve, portanto, questões como cultura, cidadania e ética. Esta ética que permite ao profissional contratuar com o usuário do serviço o seu projeto de saúde. Desta forma intervem-se no processo saúde-doença respeitando-se os aspectos psico-sócio-culturais do território.

Bibliografia

Veras, Alcyr. Anacronicas Desigualdades. In.: http://tribunadonorte.com.br/noticia/anacronicas-desigualdades/156038

No mês de julho, Taboão da Serra vai fazer parte da programação de inverno de Campos do Jordão. O evento promovido pela Secretaria Estadual de Turismo, intitulado “Estação Inverno”, acontece todos os finais de semana até o dia 26, na praça Capivari. A Orquestra de Violeiros de Taboão da Serra está na agenda de abertura do evento neste domingo, dia 5, às 17 horas.


A Orquestra de Violeiros de Taboão da Serra abre fará a abertura do evento em Campos do Jordão

De acordo com a Secretaria Estadual de Turismo o objetivo é promover a interação com os turistas e moradores da cidade e também divulgar outra atração turística de Campos do Jordão, o Festival de Inverno que está na sua 40º edição. A Orquestra de Violeiros vai tocar o Hino Nacional na abertura do evento e no próximo final de semana, dias 10 e 11, os alunos do Liceu Municipal de Artes continuam as apresentações, com percussão e grupos de práticas de conjunto. Além disso, as danças contemporânea e de rua, balé, Hip Hop, Circo, Capoeira, grupo de cordas e sopro e a Orquestra Municipal farão parte da programação.

O diretor de Divisão de Cultura de Taboão da Serra, Joilson Pires, explica que o convite surgiu depois que a secretária de Cultura de Campos do Jordão, mostrou interesse no trabalho desenvolvido na cidade. “O que é realizado em Taboão da Serra é especial porque os artistas são os próprios moradores da cidade. Isso é cultura é popular e é o que buscávamos. Além dessas apresentações que serão feitas aqui, estamos nos inspirando em vocês para desenhar uma nova proposta de cultura em Campos, que também contemple os nossos artistas”, disse Flávia Guimarães.

Para Joilson, “Esse tipo de intercâmbio consolida o projeto da prefeitura de Taboão da Serra em investir na formação cultural de seus moradores. Na região, somos referência em vários municípios do Estado de São Paulo e ter uma cidade como Campos de Jordão interessada em nosso trabalho revela que estamos no caminha certo”.