O conceito de crença na terapia cognitiva

Publicado: 14/02/2010 em Reforma da Saúde Mental
Tags:,

Fonte: NUNAP – Marco Aurélio Mendes

“As crenças que temos sobre nós mesmos, sobre o mundo e sobre o futuro, determinam o modo como nos sentimos: o que e como as pessoas pensam afeta profundamente o seu bem-estar emocional “ ( Beck e Kuyken, 2003)

A Terapia Cognitiva tem como princípio básico a afirmação de que as nossas crenças determinam o modo como nos sentimos. Os nossos pensamentos têm a capacidade de influenciar as nossas emoções e também de serem influenciados por elas. Este conceito implica uma visão de homem particular.

A Terapia Cognitiva é baseada no Racionalismo Crítico de Karl Popper e no Construtivismo. O sujeito é ativo na construção de hipóteses e teorias sobre o mundo e as coisas. Toda observação da realidade existe a partir de uma teoria criada por nós. Não é que o sujeito crie a realidade , como acreditam os chamados construtivistas radicais e sim que ele cria teorias sobre a realidade. O Racionalismo Crítico desconsidera o princípio da demarcação positivista e o substitui pelo da falsificabilidade : nosso acesso a realidade vem de nossos erros, ou seja, de nossas hipóteses sobre a mesma que não funcionam, mostrando que nossas teorias não a determinam , que existe uma realidade para além das nossas teorias sobre o mundo. Assim o Racionalismo Crítico é considerado construtivista, no sentido de que as representações que fazemos da realidade não são determinadas pelo objeto e sim construídas por nós, a partir de nossas teorias e hipóteses sobre a realidade e que estão em constante confronto com esta própria realidade.

A Terapia Cognitiva propõe que nossas emoções e comportamentos não são simplesmente influenciados por eventos e acontecimentos e sim pela forma através da qual processamos, percebemos e atribuímos significados às situações. O homem é um ser em uma busca constante por significados e explicações. Quando pensamos, estamos também interpretando esta realidade e a nós mesmos. A Terapia Cognitiva busca basicamente intervir sobre as cognições para modificar emoções e comportamentos.

Crenças Centrais

As chamadas crenças centrais são conteúdos cognitivos rígidos e profundos, idéias centrais que a pessoa tem de si mesma, dos outros e do mundo. Alguns autores também a chamam de esquemas. Beck porém enfatiza a diferença entre a estrutura cognitiva, o chamado esquema, e o conteúdo da estrutura, no caso a crença central. Uma pessoa que desenvolve um esquema ligado ao abandono, pode desenvolver uma crença central como “eu não mereço ser amado” ; “não posso confiar em ninguém”; “os outros irão magoar-me”.

Anúncios
comentários
  1. Olá,

    Agradeço a citação do artigo em seu blog. Aproveito para parabenizá-lo pelo espaço e conteúdo, bem como convidá-lo para conhecer o blog psicologia descomplicada , que estamos montando com o objetivo de divulgar a psicologia de uma maneira mais simles e objetiva.
    Abraços
    psicologiadescomplicada.blogspot.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s